Joias escondidas

Aos dez anos de idade, conheci uma senhora que infelizmente não está mais entre nós, mas possuía um hábito incomum. Certa vez fui visitá-la em sua casa (uma casa cheia de livros por sinal) e na ocasião estava terminando de ler um livro, após a última página encostou a cabeça sobre a poltrona e abraçou aquele livro como se estivesse abraçando alguém que muito ama, e disse: “Aí como os livros me abraçam”.

Fiz isso dias atrás ao terminar de ler Grande Magia, de Elizabeth Gilbert. Sou fã dessa escritora desde que lançou o incrível Comer, rezar, amar, mas neste livro em especial conseguiu me abraçar de tal forma que me custou ler a última página.

É livro totalmente autoajuda, mas fala sobre como ter uma vida criativa e como a criatividade estimula a nossa curiosidade. Logo nas primeiras páginas ela pergunta: “Você tem coragem de trazer à tona os tesouros que estão escondidos dentro de você?”. E adiante relata: “Embora os caminhos e os resultados da vida criativa variem de pessoa para pessoa, uma coisa eu garanto: uma vida criativa é uma vida mais ampla. É uma vida maior, mais feliz e muito, muito mais interessante. Viver dessa maneira — contínua e obstinadamente trazendo à tona as joias escondidas dentro de você — é uma arte em si. Porque é na vida criativa que sempre estará a Grande Magia”.

Embora algumas frases pareçam soltas ou talvez estejam mal traduzidas, Grande Magia fala sobre os medos que alguns escritores aspirantes têm ao enviar seu primeiro livro a uma editora, medo que tem em ser rejeitado, medo de ser mal compreendido, medo que seus familiares se decepcionem com suas ideias, medo que muitas vezes bloqueia a criatividade.

Mas Gilbert fala algo interessante: “Feito é melhor que perfeito”. Em determinado ponto diz que a maioria das pessoas criativas desiste dos seus sonhos porque são perfeccionistas demais e deixam a obra inacabada. Porque, no fundo, querem que o reconhecimento aconteça rápido. Ou permite que o medo seja maior que a vontade.

Sem essa. Uma vida criativa de fato é para aqueles que querem se divertir ao escrever um livro, ao compor uma música, ao tirar o branco que compõe uma tela. Uma vida criativa é para aqueles que têm coragem de trazer à tona os tesouros escondidos. Sem se importar se seu livro será best-seller, se sua música será hits em primeiro lugar nas rádios, se sua tela será exposta no museu Louvre, em Paris. Se o sucesso um dia vier é a pura consequência de um esforço.

Grande Magia é um livro que todos aqueles que escrevem, cantam, pintam, dançam; enfim, todos aqueles que criam, devem ler. Se após a leitura você não se sentir abraçado e não conseguir resgatar os seus próprios tesouros: é porque anda faltando magia dentro de você.

Comments

comments

Deixe uma resposta