O que as mulheres guardam na bolsa

Eu estava na fila do banco para pagar uma conta quando uma mulher que estava à minha frente começou a mexer na sua bolsa, acredito que estava à procura de um boleto. Dei um de zombeteiro e olhei dentro para ver o que a impedia de encontrar o bendito papel, seriam as maquiagens, os perfumes, as coleções de batons ou seria o absorvente que a impedia de virar a bolsa no balcão da funcionária do banco? 

Então me lembrei dos filmes de Hollywood em que as mulheres abrem as bolsas e dentro encontram-se brincos, creme labial, creme para as unhas, espelho, batom; enfim, tudo aquilo que o mundo real não apresenta.

Quando olhei o que tinha dentro só confirmei o que já intuía: são raras as mulheres que colocam dentro da bolsa produtos Jequiti. Na verdade, o que tinha não era muito diferente do que vejo na bolsa da minha mãe, da minha cunhada, da minha tia. Havia papéis e mais papéis. Ah, e uma coleção de canetas também vi.

Ela jurava de pés juntos que o boleto estava ali, mas não admitiu em nenhum momento que a quantidade de documentos, de contas, de contratos e de papéis rabiscados estava a impedindo de encontrar o bendito. E analisando o ocorrido, devia ter conta até do ano passado.

Era uma mulher elegante, estava de coque, um Ray-Ban pendurado em sua blusa branca, calça preta e de salto. Basta observar uma mulher como aquela para indagar: como pode ser tão organizada por fora e dentro ser tão atrapalhada?

De que modo acreditarei em uma mulher se por fora é formosa e por dentro uma estranha? Como amarei uma mulher que usa salto se por dentro não encontra o sapato? De que maneira me casarei com uma mulher que não admite o fracasso? 

Os homens, por sua vez, não carregam bolsas, levam consigo apenas o essencial. São mais simplificados. Não guardam contas, não guardam papéis; têm apenas RG, CPF, cartão de crédito e dois pares de camisinhas. (Os mais tradicionais, que fique claro.)

As mulheres perdem-se delas mesmas. Estão ligadas na tomada 24 horas por dia. Já os homens, dificilmente fogem de si mesmos. As mulheres são frágeis, confusas, ansiosas, verborrágicas, ofegantes. Já os homens são lentos, calmos, por isso se encontram. As mulheres guardam mágoas, lembram-se do dia, mês e ano de cada conta. Os homens esquecem-se das contas, das mágoas, das datas e dos anos. As mulheres colecionam canetas, palavras, sapatos, são tantas. Por isso, tudo que guardam dentro nenhuma delas contam.

Comments

comments

Deixe uma resposta