Quando menos se espera

Naquela manhã acordei atrasado, coloquei uma roupa qualquer, mal penteei o cabelo e fui trabalhar. Mas justamente quando menos se espera somos surpreendidos por essa coisa chamada vida. Coloquei uma calça qualquer, uma blusa de frio cheia de bolinha (aposto que você tem uma) e sai correndo pelo meio da rua. Com licença, com licença, estou atrasado.

Ao chegar ao trabalho fui informado que iria cobrir um evento na cidade vizinha. Algo fino. Sem questionar, fui. O papel do editor é orientar e do jornalista correr. Já entendi. Quando cheguei ao evento pude observar pessoas me olhando de cima abaixo. Fingi que não era comigo e entrei no auditório para fazer minhas anotações. Mas é na distração que a vida lhe dará um abanão. Vem cá, é sua vez. Você todo atrapalhado, descobrirá que um aperto de mão vai fazer você respirar diferente e mesmo com a roupa inapropriada vai sorrir mais que o habitual.

Quando menos se espera coisas acontecem.

Você tão cordata não espera se apaixonar por aquele cafajeste que mora do outro lado da rua. Você que odiava ir à casa da sua tia (que tanto criticava), não esperava voltar de lá vibrando de alegria. Você que se diz estar numa ótima fase,  fazendo companhia para si mesma, não esperava se apaixonar por aquele garoto que pega o mesmo ônibus que você.

Você tão sei lá o que descobriu o amor da sua vida de pijama. Você tão cheio de si não aguentou ficar sem falar com ela por uma semana. Você que mais briga com seu namorado do que com qualquer outra coisa não resistiu entregar aquele beijo pós-discussão. “Vem cá, me desculpe, eu exagerei um pouco”. 

Você que tanto desacreditava no amor descobriu que ele existe, e que ele chegou naquele momento em que você estava sem maquiagem, sem escova progressiva, sem as sobrancelhas feitas.

Quando menos se espera você surpreende ou é surpreendido. Quando menos espera você estará rindo das coisas bobas, rindo de si mesma. Quando menos esperar você se olhará no espelho e perceberá que não há mais tempo a perder (mesmo dizendo que é velha demais para um novo romance) e nesse momento se dará conta de como o tempo passou, mas com um olhar mais afetuoso do mundo, chegará à conclusão de que amar não tem idade.

Confesse, você não esperava que aquele “olá, tudo bem?” fosse desencadear uma paixão e dessa paixão nasceria o amor. Você não esperava que fossem ficar juntos por tanto tempo. Admita, aquela mulher te deixa louco, mesmo que os defeitos dela sejam bem insuportáveis – mas amar não é isso, empoderamento?

Você não esperava que aquele beijo fosse despertar em você essa coisa toda que mal sabe explicar. Você não imaginava que amar é entrega. Você não esperava que isso fosse acontecer agora. Você não esperava nada. Mas a vida é assim mesmo: quando menos se espera pega a gente pela mão e anuncia o quanto pode ser surpreendente.

Comments

comments

Deixe uma resposta